VIDA LEGAL

HOME > VIDA LEGAL



HOME > VIDA LEGAL




VIDA LEGAL


Você pode estar correndo torto; saiba como corrigir

A maneira mais simples é o próprio corredor observar como gasta a sola dos seus sapatos.

Publicada em: 21/08/2019



Pronada, supinada ou neutra? Para quem pratica corrida há algum tempo, os termos referentes aos tipos de pisada não soam estranho —e provavelmente o corredor fez um teste para descobrir qual é a sua. Por outro lado, há quem não saiba as diferenças entre elas e como podem influenciar nos treinos. O ortopedista especialista em pés e tornozelos Thiago Bittencourt explica que, dentro dos pés, os ossos estão interligados e funcionam como uma engrenagem. “Quando movimentamos uma parte do pé, há uma transmissão e a outras partes também se movimentam.” Isso significa que um tipo de pisada vai executar certas funções melhores em detrimento de outras.

Para descobrir de que maneira você distribui seu peso durante a corrida existem, resumidamente, três formas: O seu médico, em um exame em que o paciente fica em pé, identificará sua pisada observando a forma como pé toca o chão.

Também é possível saber por meio de aparelhos que medem a pressão do pé na superfície, disponível em algumas lojas de tênis.

A maneira mais simples, no entanto, é o próprio corredor observar como gasta a sola dos seus sapatos. Quando o calçado desgasta mais do lado de fora, significa que o pé é supinado. Já quando o desgaste está mais do lado de dentro, pronado.

Os tênis específicos ajudam a compensar esse desvio natural dos pés, mas Bittencourt reforça que eles não têm capacidade de corrigir os casos de desvios
mais problemáticos.

image

PISADA SUPINADA

A parte de fora do pé é mais exigida, pois a curvatura do arco é maior e o tornozelo fica apontado para dentro. É a que causa mais lesões. O pé é mais rígido, tem menor mobilidade e capacidade de amortecimento. Isso leva à sobrecarga na parte óssea e nos tendões por não absorver bem o impacto, além de aumentar as chances de torções

PISADA NEUTRA

O corredor com esse tipo de pisada tem sorte: não há alterações ou torções. Mesmo assim, todos estão sujeitos a lesões e é necessário fazer o acompanhamento com profissionais da saúde e do esporte. É preciso ficar atento na hora de escolher um tênis para não haver uma compensação desnecessária da pisada

PISADA PRONADA

A curvatura do arco do pé é mais plana e o tornozelo aponta para dentro. O corredor exige mais da parte interior do pé, que é mais flexível, dando mais espaço para os ossos manobrarem. Neste caso, o amortecimento é muito bom, mas a flexibilidade exige uma musculatura mais forte, e o atleta tende a ter mais câimbras e distensões


Fonte: FSP
Edição: F.C.



Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.







Destaques: