VIDA LEGAL

HOME > VIDA LEGAL



HOME > VIDA LEGAL




VIDA LEGAL


Exercite-se em boa companhia

Saiba por que ter um parceiro pode fazer toda a diferença quando chega a hora de praticar alguma atividade física.

Publicada em: 30/04/2013



Tudo na vida é possível fazer sozinho. O despertador faz o trabalho dele acordando-o na hora determinada, o micro-ondas descongela o almoço e em segundos a refeição é devorada, o computador se encarrega de lhe distrair com inúmeros jogos ?interativos? nos quais são só você e a máquina.

Mas, mesmo sozinho, a preguiça é uma companhia constante, por isso, praticar algum exercício pode se tornar um grande esforço. A boa notícia é que ter alguém para acompanhar você em algum esporte pode dar aquele ânimo extra, e a atividade se torna prazerosa e saudável para o corpo e para a mente.

Segundo o coordenador de ginástica, Sandro Nunes, quando se tem uma companhia para treinar, a malhação pode tornar-se prazerosa. ?Com um acompanhante, um sempre incentiva o outro a não desistir?, declara o coordenador da Forum Exere Fitness, Leonardo Marandino.

Veja abaixo algumas sugestões de companhias para a hora de malhar:

Com os filhos

Atividades sugeridas: Patins, skate, bicicleta ou qualquer outra atividade ao ar livre.

Frequência: Quatro vezes por semana.

Vantagens: A criança tem muita disposição e energia, muito mais do que os adultos. Pode ser aliada na hora de levantar cedo e, geralmente, cumpre o treino até o final.

O que pode dar errado: O pai e a mãe geralmente são muito cuidadosos e podem ficar preocupados com a integridade física dos filhos. As crianças também costumam enjoar facilmente de atividades ?regradas?, aquelas que precisam ser executadas com regularidade. Se fizer de uma criança sua companhia, tenha cuidado para que o treino seja feito com regularidade, de preferência com dia e horário marcados.

Com uma amiga

Atividades sugeridas: Musculação, corrida e aulas de ginástica.

Frequência: De duas a quatro vezes por semana.

Vantagens: Você poderá colocar o papo em dia antes e depois do treino. Também encorajará seu colega e será encorajado para não desmotivar.

O que pode dar errado: No caso da corrida, se você for sedentário e o seu amigo já pratica o exercício, ficará para trás ou o seu acompanhante vai correr num ritmo abaixo do normal, afetando assim o rendimento dele. Na musculação, se você malhar com uma pessoa muito mais treinada que você, os dois não vão pegar o mesmo peso nos exercícios e, assim sendo, terão que trocar os pesos dos aparelhos em todas as séries realizadas.

Com o parceiro

Atividades sugeridas: Caminhada para quem está começando, depois passar para a corrida. Vale incluir também aulas de musculação ou condicionamento físico.

Frequência: De três a quatro vezes por semana.

Vantagens: Nada melhor para fazer com o(a) namorado(a) ou marido(esposa) do que uma atividade mais leve, que permite conversar de vez em quando. E, quando estamos ao lado de quem amamos, a tendência é querer agradar, dar o nosso melhor. A intenção é que durante a atividade física também ocorra isso. Com certeza, o parceiro pode ser o maior incentivador. Um dos princípios do treino é a continuidade; nesse momento o companheiro pode ser a maior motivação e funcionará da mesma forma que um personal trainer.

O que pode dar errado: O companheiro pode ficar mais preocupado com os resultados do parceiro e esquecer que também está treinando. O organismo de cada um responde de uma maneira diferente, portanto, em algum momento, o corpo de um vai ?pedir? mais e o do outro pode ainda não ter chegado ao objetivo desejado. Aí é detectado um problema com relação à intensidade. Nesse momento, os dois precisarão decidir se vão continuar os treinos juntos ou conversar com o profissional para adaptar as atividades.

Com o cachorro

Atividades sugeridas: Caminhada e corrida. Porém, antes de começar o treino, é preciso consultar o veterinário e ver se a raça do seu companheiro aguenta caminhadas intensas ou, até mesmo, a corrida.

Frequência: Três vezes por semana.

Vantagens: Apesar de esse animal não influenciar tanto no resultado do treino, ele vai trabalhar a parte lúdica, pois pode ser um grande companheiro

O que pode dar errado: Para não correr riscos, é preciso que o cachorro também tenha um bom condicionamento. Se o animal for daqueles que nunca saem de casa ou se for muito novinho, pode atrapalhar em vez de ajudar, pois ele não vai aguentar caminhar por muito tempo, quem dirá correr. 


Fonte: Viva Saúde
Edição: F.C.
30.04.2013


Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.







Destaques: