VIDA LEGAL

HOME > VIDA LEGAL



HOME > VIDA LEGAL




VIDA LEGAL


6 estratégias para se livrar dos machucados que atrapalham sua atividade física

Algumas estratégias ajudam a nos livrarmos dos incômodos.

Publicada em: 20/02/2014



1. Assaduras

O problema: o suor em lugares onde a pele fricciona - nela mesma ou na roupa de ginástica - pode causar pontos de irritação que coçam e ardem. Se você não se controlar, eles podem se transformar em feridas.

A solução: previna a assadura com um top de ginástica de tamanho adequado (que não sobre nem aperte) e use roupas leves, como as de algodão. "Antes da ginástica, pode-se passar vaselina em pasta na parte interna das coxas e nas axilas para diminuir o atrito", aconselha Roberto Ranzini, ortopedista e médico do esporte do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Sua pele já está machucada? Para as regiões mais secas, como pernas e costas, use hidratante sem cheiro e sem cor. "Já para a área embaixo dos seios, você pode passar amido de milho, que dá uma sensação de alívio na região", diz a dermatologista Valéria Campos, da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

 

2. Cãibras musculares

O problema: espasmos musculares podem durar alguns - agonizantes - minutos. E no verão eles podem ser mais frequentes. "Com o suor não perdemos apenas água, mas também eletrodos, como potássio e sódio", diz Roberto Ranzini. Isso significa que há falta de nutrientes necessários para realizar uma atividade muscular adequada.

A solução: para evitar as cãibras, hidrate-se bem e consuma alimentos que repõem esses sais, como feijão, abacate, espinafre e abóbora. "Precisamos de cerca de 4 mil mg de potássio por dia. Uma boa receita é bater melão com iogurte e banana", recomenda Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia. Outra dica é não se exercitar logo após uma grande refeição. "Depois do almoço, o fluxo sanguíneo é enviado ao trato intestinal, onde acontece a digestão. Com isso, as extremidades do corpo recebem menos oxigênio, o que gera mais ácido láctico, que também é um dos responsáveis pela cãibra", explica Julio Peclat, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular.

 

3. Dores nas partes íntimas

O problema: posicionar o guidão da bike abaixo da altura do assento pode causar dormência e desconforto nas áreas íntimas, de acordo com uma pesquisa do periódico americano Journal of Sexual Medicine. "O trauma causado pelo banco pode gerar secreções que facilitam a ocorrência de cistite e cândida", alerta Nilcea Neder, ginecologista da Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Rio de Janeiro.

A solução: alinhe o guidão com o assento e regule os pedais para que suas pernas não se estiquem totalmente. Procure também capas de gel para cobrir o assento da bicicleta. Se você ainda sentir dor, fique em pé nos pedais e estique-se enquanto se exercita, ou pare e reajuste o banco.

 

4. Arranhões e cortes

O problema: o céu azul do verão anima qualquer uma a aventurar-se em trilhas e passeios vestindo apenas bermuda e regata. O frescor aumenta, mas os seus membros ficam mais expostos a sérios machucados causados por quedas e tropeções.

A solução: desequilibrou e caiu? Limpe bem a região com água e sabão para evitar infecção por estafilococos, bactérias que se proliferam em ambientes quentes e úmidos. É importantíssimo tirar toda a sujeira do machucado. "Pode-se usar uma escovinha para retirar grãos de areia e pedacinhos de asfalto", diz Valéria. Em seguida, mantenha a ferida hidratada com uma pomada cicatrizante (à base de pantenol), aplicada três vezes por dia, e cubra-a com um curativo até que a pele se recupere para evitar cicatrizes. Se na região se formar um alo vermelho que aumente de tamanho, é melhor procurar um pronto-socorro porque a ferida pode evoluir para uma erisipela (infecção mais profunda).

 

5. Unhas pretas

O problema: quando você se exercita durante muito tempo em um ritmo forte, as unhas dos seus pés podem bater repetidamente no interior do tênis. (Isso acontece mesmo com o calçado do tamanho certo porque o seu pé incha durante a ginástica, especialmente no calor).

A solução: um médico de pronto-socorro pode extrair - sem dor - o excesso de líquido da unha através de uma pequena incisão. Para prevenir o problema, compre um tênis de número maior que o normal para o verão - e use meias adequadas para corrida.

 

6. Otite externa

O problema: a água do mar ou da piscina aumenta o pH do ouvido (que é ácido) e o deixa mais vulnerável às bactérias e infecções. "O problema é que as pessoas coçam o ouvido contaminado com cotonete. Isso faz com que a pele descame e, consequentemente, a inflamação aumente", explica Godofredo Borges, diretor da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial.

A solução: para quem tem otite frequentemente, duas gotas de vinagre branco podem ajudar a regular o pH do ouvido. "Você pode pingá-lo antes de dormir porque o cheiro é forte", aconselha Osmar Mesquita Neto, otorrino da Santa Casa de São Paulo. Não adiantou? Seque seu ouvido com um secador de cabelo na intensidade baixa. Para diminuir a dor, além de tomar anti-inflamatórios, você também pode fazer compressa quente. "O calor funciona como analgésico. Esquente um pano e deixe-o encostado na orelha por 15 minutos. Espere 30 minutos e depois repita", orienta Borges. E lembre-se: nada de mar ou piscina enquanto a dor persistir. "Assim que possível, é importante que a paciente procure um médico para fazer uma limpeza do ouvido externo", alerta Neto.

Fonte: MdeMulher
Edição: F.C.



Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.







Destaques: