ARTIGOS

HOME > ARTIGOS



HOME > ARTIGOS




DEPOIMENTO


A prática de atividade física é uma atitude pró-ativa em favor da saúde

Mudar de hábitos e deixar para trás o sedentarismo, bebidas e fumo faz bem para você e para todos que estão ao seu redor.

Publicada em: 20/07/2006



Falar que o esporte faz bem para a saúde pode parecer redundante, mas não é. Fico surpreso com a enorme quantidade de pessoas que, ao serem questionadas sobre a necessidade de mudança de comportamento por causa das doenças causadas pelos maus hábitos alimentares, stress, sedentarismo, cigarro e álcool, colocam inúmeras dificuldades para iniciar a prática de esportes. É um absurdo: em vez de viverem reclamando dos problemas e até mesmo de invocarem a justiça de Deus, o que deveriam fazer mesmo é tomar uma atitude pró-ativa em favor de sua própria saúde.

Alguns dizem que conhecem quem fuma há mais de 100 anos e "está vivinho" e, não fumante, "que foi atropelado por um carro e morreu com apenas 20 anos". Mas este argumento não pode valer para os que têm um mínimo de informação e para os profissionais de seguros. Afinal, uma das tendências internacionais é a segmentação dos mercados de vida e saúde, com seguradoras oferecendo aos segurados não fumantes condições de cobertura e custos preferenciais, com base em estudos estatísticos.

Outros dizem que aqueles que não fumam e não bebem não são capazes de viver plenamente. Estes são os casos mais complicados. Acreditar que a vida se resume ao prazer momentâneo da nicotina ou do álcool é caso para psiquiatra. Finalmente, existem aqueles que sempre não podem praticar esportes por problemas físicos,
geralmente na coluna, no joelho ou no pé.

Em função disso resolvi fazer este depoimento. Tenho problemas de coluna, joelho operado e pé chato. Não obstante, nos últimos três anos, completei inúmeras corridas, entre elas duas maratonas. Posso garantir que a realização de se completar 42 quilômetros correndo uma maratona é sublime.

A preparação exige disciplina e determinação. Para começar, é necessário fazer uma avaliação médica para conhecer, principalmente, as condições cardíacas, fundamentais neste tipo de atividade. Depois desta avaliação, passamos por programa de treinamento de no mínimo quatro meses, elaborado de preferência com o apoio e orientação de um profissional. O programa geralmente prevê uma hora de atividade física durante cinco dias da semana. Também é recomendável o acompanhamento de especialistas em nutrição, ortopedia e fisioterapia.
Todo este trabalho leva à melhoria do estado de saúde em geral: o gordo emagrece e o magro ganha massa muscular. Problemas causados por colesterol alto, bronquite e asma praticamente desaparecem. Graças ao aumento da imunidade, raramente se contrai gripe e resfriado. Além disso, como o ciclo de treinamento nos obriga a focar mais o médio prazo, começamos a lidar melhor com a ansiedade e com os problemas do dia a dia. Finalmente, somos recompensados por noites de sono profundo e pelo aumento da auto-estima.

No dia da corrida é necessário concentração, descanso e meditação sobre a estratégia a ser executada na prova. No começo tudo parece ser uma alegria, graças à endorfina, mas a partir da metade da prova travamos uma batalha mental entre a necessidade de conforto físico e a de realização do objetivo. Não obstante, uma vez superada esta batalha, saímos com o espírito fortalecido. Como diz o sábio, e também maratonista, Marcos Lima: "O que não mata nos deixa mais
fortes".

Como você pode observar, o esporte provocou em mim uma profunda mudança na condição física, mental e espiritual. Reconheço que este processo não começou do nada. Tive o apoio de amigos, família e uma mente que tinha necessidade de mudar - o que faltava era atitude. Na minha juventude foi o tio Alaor, no leito do hospital por várias semanas vítima de problemas cardíacos decorrentes do fumo, quem me fez prometer evitar o cigarro. Eu prometi, ele acabou por falecer prematuramente, mas eu nunca me esqueci do nosso compromisso.

Quase cinco anos depois, o nascimento do meu primeiro filho Victor foi o fator de motivação para, definitivamente, parar de fumar. Eu queria dar o exemplo e resolvi que não tinha mais espaço para cigarro em casa. Aprendi que o exemplo através da atitude é sempre melhor do que palavras, castigo e, assim, naquilo que depender de mim, meus filhos jamais irão colocar um cigarro na boca.

Recentemente foi a vez de o tio Elsimar me alertar sobre os efeitos nocivos do uso do álcool. Por alguma razão que não sei explicar, o seu alerta em um Dia de Natal me tocou profundamente. Comecei a observar e notei que além dos danos físicos, o comportamento do usuário tende a ser errático e em longo prazo acaba por destruir a sua auto-estima, tão necessária ao bem estar.

Foi assim que aos 40 anos, mais consciente e motivado pela necessidade de melhoria da condição física para enfrentar as corridas, comecei a reduzir drasticamente o consumo de bebidas alcoólicas e eliminei os destilados. Passados três anos, sinto que caminho na direção certa, em todos os sentidos e, agora, minha tarefa é a de transmitir esta experiência em benefício daqueles que também querem evoluir como seres humanos, durante sua breve passagem na terra. Os Espíritas acreditam que os fumantes, os alcoólatras são, na verdade, suicidas e acredito que, de alguma forma, eles estão certos.

Também me sinto abençoado pela dádiva de ter filhos que, mesmo em idade tenra, já sejam capazes de reconhecer o problema. Em diversas ocasiões eles observam, e tristes, me questionam sobre as atitudes negativas das pessoas alcoolizadas e fumantes, pois sabem que eles não estão prejudicando somente a sua própria saúde, mas também a de todos aqueles que amam e que irão sofrer com a sua morte prematura. Agora estamos trabalhando para educá-los sobre a importância de ter hábitos alimentares mais saudáveis. É uma batalha diária, são crianças, mas, tenho certeza que, com o exemplo, através da atitude, um dia chegaremos lá.
Afinal, a saúde não é somente nossa, mas também da nossa família e dos amigos. Assim, se não for capaz de mudar de hábitos para o seu próprio bem, pelo mesmo faça isso pela sua família, pois você faz falta.

Experimente levantar mais cedo amanhã para dar uma boa caminhada. Aproveite e, de quebra, comece a trotar. Sem mesmo perceber já estará correndo e não vai querer mais parar.

Boa Viajem!

Por Vínicio Fonseca
Enviado por: J.C.D
Data: 20.07.2006



Comentários (0)

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.







Destaques: